medicina e exercicio
Pesquisar
Pesquisar

Fisioterapia geriátrica

O que é a fisioterapia geriátrica?

A fisioterapia em geriátrica é a área da fisioterapia responsável pelo tratamento integral e humanizado à pessoa idosa.

Seu foco principal é a capacidade funcional, ou seja, a autonomia e a independência das pessoas em processo de envelhecimento.

Isso inclui, por exemplo:

  • Melhora no padrão de caminhada;
  • Melhora na capacidade de se levantar, se sentar ou subir escadas;
  • Melhora na capacidade de se vestir, calçar calçados ou realizar a higiene pessoal;
  • Melhora na capacidade de carregar compras ou mesmo de carregar o neto.

A fisioterapia geriátrica pode também atuar de forma preventiva sobre fatores de risco típicos desta população, especialmente sobre o risco de quedas.

O processo do envelhecimento

Envelhecer é um processo natural e inevitável, mas que acontece de forma bastante variável de pessoa para pessoa. Estilo de vida, condição socioeconômica e a presença de doenças são alguns dos fatores que influenciam o modo como nos tornamos idosos.

Do ponto de vista biológico, o envelhecimento celular normal é o responsável pelos declínios funcionais. As alterações incluem mudanças no sistema cardiovascular, principalmente durante os esforços.

Há também uma diminuição da função pulmonar, ou seja, os pulmões das pessoas idosas têm uma capacidade reduzida de captar oxigênio. Bem como a caixa torácica é menos flexível e os músculos respiratórios têm força reduzida.

Ademais, a perda de massa muscular (sarcopenia), da elasticidade de ligamentos e de densidade óssea também fazem parte do processo. O envelhecimento do tecido muscular é importante e associa-se a diminuição hormonal e de atividade física.

Não menos importante, o declínio do sistema neurológico resulta em mudanças cognitivas e psíquicas graduais. Dificuldade de aprendizagem, esquecimento, falta de motivação e até a depressão podem estar relacionados com a velhice.

Portanto, entender como envelhecemos é crucial para preservar a saúde e adiar futuras incapacidades.

Quais os objetivos da fisioterapia geriátrica?

A fisioterapia é uma das formas de proporcionar um envelhecimento ativo da população. Ou seja, favorece a expectativa de vida saudável durante os processos naturais do envelhecimento (senescência) e das pessoas que já apresentam doenças (senilidade).

O principal objetivo da fisioterapia geriátrica é conservar a função motora das pessoas idosas. Isso é essencial para realizarem suas atividades diárias e manter a qualidade de vida.

Em segundo lugar, é indispensável preservar e melhorar a funcionalidade integralmente. Isto é, relacionando as capacidades físicas, psicossociais e cognitivas.

Além dos objetivos gerais, especificamente, a fisioterapia contribui para:

  • melhorar a força muscular;
  • melhorar a flexibilidade, o equilíbrio e a coordenação motora;
  • reduzir o risco de quedas e de fraturas;
  • prevenir disfunções respiratórias e cardiovasculares;
  • retardar as limitações funcionais temporárias ou permanentes de doenças progressivas.

Sem dúvida, o envelhecimento inclui outras pessoas, como familiares, acompanhantes e cuidadores. Inclusive, não é raro que a faixa etária de um cuidador seja a mesma da pessoa idosa dependente.

Sendo assim, a fisioterapia também presta orientações àqueles que cuidam.

Quais os benefícios da fisioterapia geriátrica?

Adaptar-se às mudanças do envelhecimento pode ser desafiador. Nem sempre é fácil lidar com dificuldades físicas e com as doenças que surgem ao longo do caminho.

Assim, um benefício da fisioterapia é a aceitação e a valorização do próprio corpo. Embora possa ser difícil correr longas distâncias sem cansaço, é possível caminhar por um tempo sem dores, por exemplo.

Outro benefício é a promoção do bem-estar físico e mental. A manutenção e a melhora da aptidão física (força muscular, resistência, coordenação motora, equilíbrio e flexibilidade) colabora para a independência, para a autoconfiança e para a participação social.

Muitas pessoas idosas são portadoras de doenças crônicas, como artrose ou Hipertensão Arterial. Assim como condições neurológicas degenerativas, como a Doença de Alzheimer e a Doença de Parkinson.

Nesse sentido, a fisioterapia trata os sinais e sintomas mais expressivos, retarda incapacidades e garante a melhor qualidade de vida possível.

Como é um atendimento de fisioterapia geriátrica?

O fisioterapeuta pode atuar em hospitais, consultórios, domicílios, instituições de longa permanência para idosos, entre outros ambientes.

Em princípio, a avaliação fisioterapêutica analisa as necessidades individuais e as potencialidades de cada pessoa idosa. Isso envolve os sistemas muscular, neurológico, cardiovascular e respiratório. Da mesma forma, são avaliados hábitos e estrutura familiar.

As sessões têm duração média de 60 minutos e podem ser realizadas de duas a três vezes na semana, individualmente.

Por outro lado, intervenções em grupo para promoção de saúde e prevenção de doenças também são possíveis. Isso diferencia a fisioterapia geriátrica de algumas outras áreas da profissão.

Determinados perfis de pacientes beneficiam-se da socialização e do momento lúdico. Desse modo, a assiduidade e o envolvimento nas sessões são favorecidos.

Quais recursos podem ser utilizados?

A fisioterapia geriátrica pode se utilizar dos mesmos recursos disponíveis para a fisioterapia geral, incluindo técnicas manuais, exercícios (cinesioterapia), aparelhos como o ultrassom ou a eletroterapia ou mesmo os exercícios aquáticos.

Esta atuação depende das necessidades individuais de cada pessoa, dos recursos disponíveis e das experiências e preferencias individuais.

A base da fisioterapia é o movimento humano. Assim, o fisioterapeuta utiliza conhecimentos como técnicas manuais, métodos e exercícios terapêuticos direcionados para as pessoas idosas.

São alguns exemplos de recursos fisioterapêuticos:

Cinesioterapia

Os exercícios terapêuticos podem fazer parte de programas para evitar quedas, associados à estimulação cognitiva. São simples e de fácil entendimento. As suas modalidades incluem exercícios ativos, aeróbicos e multimodais (flexibilidade, alongamento e coordenação).

Mecanoterapia

A utilização de equipamentos no processo terapêutico confere tanto assistência, quanto resistência aos exercícios. São exemplos as barras paralelas, escadas, rampas, bolas, halteres, caneleiras e bicicleta ergométrica.

Hidroterapia

Os exercícios terapêuticos realizados na água aquecida utilizam as suas propriedades para manter e melhorar a capacidade funcional. Uma grande vantagem é a ausência de impacto e de estresse nas articulações.

Recursos tecnológicos e de realidade virtual

Dispositivos de tecnologia assistiva podem ser utilizados para aumentar a capacidade funcional e a qualidade de vida em idosos. Os jogos virtuais, que simulam a realidade, podem ser aliados aos treinos de equilíbrio.

Práticas Integrativas e Complementares em Saúde

As práticas integrativas e complementares são tratamentos com base em conhecimentos tradicionais, para o tratamento de doenças. No âmbito da atuação fisioterapêutica incluem, por exemplo, a medicina tradicional chinesa (acupuntura), a osteopatia e a quiropraxia.