medicina e exercicio

Dor Neuropática

O que é a Dor Neuropática?

O primeiro passo na avaliação de um paciente com dor crônica é diferenciar a causa como dor neuropática ou nociceptiva.

A dor neuropática é um tipo de dor que se desenvolve em decorrência do mau funcionamento do sistema nervoso. Ela pode estar relacionada aos nervos periféricos, medula espinhal ou cérebro.

A dor nociceptiva é aquela que é provocada por uma lesão ou dano tecidual. É o que acontece, por exemplo, imediatamente após uma pancada.

Em muitos pacientes com dor crônica, é possível observar um padrão misto de dor, tanto neuropática como nociceptiva. Habitualmente, estes pacientes iniciam com um quadro de dor nociceptiva, mas desenvolvem um processo de sensibilização central, no qual o sistema nervoso passa a contribuir com a geração da dor.

A identificação dos diferentes tipos de dor é fundamental para a escolha adequada do tratamento.

Sensibilização Central

A sensiblização central é um fenômeno muitas vezes que acontece em pessoas que sofrem por um longo período de dor.

Ela faz com que o sistema nervoso se torne cada vez mais sensível aos diferentes estímulos, percebendo tudo como dor. Um simples toque, por exemplo, passe a ser percebido como algo doloroso.

Nem todas as pessoas apresentam este fenômeno de sensibilização central, embora isso seja até duas vezes mais comum entre as mulheres.

Quais as características da Dor Neuropática?

Algumas características da dor neuropática ajudam a diferenciá-la de outras formas de dor, incluindo:

Dor Espontânea

A dor espontânea é aquela na qual o nervo envia um sinal doloroso ao cérebro sem que ele seja estimulado para isso.

A dor é muitas vezes referida como sendo em pontada, queimação, facada ou com a sensação de um choque elétrico. Pode ser referido também formigamento ou dormência.

Dor Evocada

A dor evocada envolve uma sensação dolorosa anormal frente a um estímulo. Existem diferentes formas de dor evocada:

  • Alodínea: dor que é provocada por estímulos normalmente não dolorosos, como frio, vento ou toque suave na pele;
  • Hiperalgesia: dor provocada por estímulos normalmente dolorosos, mas em intensidade muito além do que seria de se esperar.

Quais as causas da Dor Neuropática?

Ela pode ser causada por diferentes condições, incluindo:

Tratamento da Dor Neuropática

Assim como é feito com outros tipos de dor crônica, algumas medidas gerais para o tratamento da dor neuropática devem incluir:

  • Identificação e tratamento da causa da dor;
  • Medidas para o alívio da dor;
  • Medidas para manter a funcionalidade, incluindo a fisioterapia;
  • Mudanças de estilo de vida, incluindo a prática regular de atividades físicas, melhora do padrão alimentar e melhora do padrão de sono;
  • Suporte psicológico.

O tratamento medicamentoso, porém, é diferente daquilo que é feito para a dor nociceptiva.

Medicamentos comumente prescritos para dor neuropática incluem medicamentos anticonvulsivantes, antidepressivos, lidocaína tópica e capsaicina.

São medicamentos que atuam sobre o sistema nervoso e sobre o mecanismo da dor, o que envolve uma ação que nada tem haver com eventuais quadros convulsivos ou de depressão.

Entre os principais medicamentos anticonvulsivantes usados para tratar a dor neuropática incluem-se:

  • Gabapentina (Neurontin®);
  • Pregabalina (Lyrica®);
  • Topiramato (Topamax®);
  • Carbamazepina (Tegretol®);
  • Lamotrigina (Lamictal®).

Já os antidepressivos usados para dor neuropática incluem:

  • Amitriptilina (Elavil®);
  • Nortriptilina (Pamelor®);
  • Venlafaxina (Effexor®);
  • Duloxetina (Cymbalta®).

Os analgésicos opioides são menos eficazes no tratamento da dor neuropática. Além disso, os efeitos colaterais podem impedir seu uso a longo prazo.

A dor também pode ser tratada com bloqueios nervosos, quando uma injeção de corticoesteroides ou anestésicos é aplicada próximo ao nervo acometido.

Quando a dor não responde às terapias mencionadas acima, outras opções de tratamento incluem a estimulação da medula espinhal, estimulação do nervo periférico e estimulação cerebral.

Bloqueios Nervosos

Bloqueios nervosos são procedimentos intervencionistas usados no tratamento da dor que buscar desativar a transmissão de estímulos dolorosos por meio da injeção de medicamentos anestésicos ou corticoesteroides próximo aos nervos.

Os bloqueios podem ser feitos para diferentes tipos de dor neuropática. Discutimos mais a respeito nos artigos sobre Infiltrações e Bloqueios na coluna e no artigo sobre o Bloqueio Genicular.