medicina e exercicio

Acidente Vascular Cerebral (AVC)

O que é o Acidente Vascular Cerebral?

O acidente vascular cerebral (AVC) é uma condição na qual o suprimento de sangue para o cérebro é interrompido ou drasticamente reduzido, privando as cédulas de oxigênio e de nutrientes. Quando isso acontece, as células cerebrais começam a morrer em minutos.

75% de todas as pessoas que sofrem um AVC sobrevivem ao episódio (1). Entretanto, 20% dos sobreviventes precisarão ser institucionalizados e 50% se tornam dependentes de outras pessoas no dia a dia (1). 

O Acidente Vascular Cerebral é uma emergência médica que exige tratamento imediato. Quando bem conduzido, o tratamento pode reduzir danos adicionais ao cérebro.

O AVC deve ser diferenciado do Ataque Isquêmico Transitório. Neste caso, a redução no suprimento de sangue é temporária e não causa dano permanente. 

Os sintomas iniciais são semelhantes, de forma que a diferenciação entre o AVC e o ataque isquêmico transitório somente deve ser feito após a avaliação médica.

Tipos de Acidente Vascular Cerebral

Existem dois tipos de Acidente Vascular Cerebral:

Acidente vascular cerebral isquêmico 

O AVC Isquêmico é causado pela obstrução ou redução brusca do fluxo sanguíneo em uma artéria do cérebro. Ele é responsável por 85% dos casos de acidente vascular cerebral (1).

A principal causa para o bloqueio ou estreitamento dos vasos sanguíneos é a aterosclerose. Neste caso, placas de gordura se acumulam na parede dos vasos sanguíneos, reduzindo a luz das artérias.

Eventualmente, a aterosclerose que acomete as artérias do coração pode levar à formação de coágulos, que se desprendem e são levadas até às artérias cerebrais.

Acidente vascular cerebral hemorrágico

O Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico acontece quando uma artéria do cérebro se rompe, levando ao extravasamento de sangue para o interior do cérebro. A maior parte dos casos está associado a quadros de Hipertensão Arterial. Outras possíveis causas incluem:

  • Tratamento com medicações anticoagulantes; 
  • Aneurisma;
  • Trauma; 
  • Depósitos de proteínas nas paredes dos vasos sanguíneos, levando à fraqueza na parede do vaso (angiopatia amilóide cerebral);
  • Em alguns casos, o AVC isquêmico também pode levar secundariamente à hemorragia.

Fatores de risco para o AVC

 

Os fatores de risco para o Acidente Vascular Cerebral estão relacionados ao estilo de vida e às condições clínicas do paciente. Eles incluem:

Sinais e sintomas do Acidente Vascular Cerebral

 

Os sinais e sintomas do AVC podem incluir:

  • Fraqueza ou paralisia em um lado do corpo;
  • Dificuldade para falar;
  • Perda de visão;
  • Perda da sensibilidade de um lado do corpo; 
  • Alterações de movimento;
  • Alteração no nível de consciência.

Este quadro clínico pode ser bastante variável caso a caso, a depender de qual a extensão das lesões e da região do cérebro que foi afetada. 

Como exemplo, um acidente vascular cerebral no hemisfério esquerdo pode prejudicar a linguagem. Isso porque o centro da linguagem está localizado no hemisfério esquerdo na maioria dos indivíduos. Já o acidente vascular cerebral no hemisfério direito pode ter efeitos secundários completamente diferentes.

O tratamento precoce pode recuperar parte da perfusão sanguínea para a área afetada. Assim, estes sinais ou sintomas podem ter algum grau de recuperação nas fases iniciais.

Diagnóstico

 

Quando uma pessoa chega ao hospital com sinais e sintomas sugestivos de AVC, exames de imagem deverão ser feitos de imediato para determinar qual o tipo de AVC. O exame mais usado para isso é a Tomografia computadorizada.

O exame pode mostrar a área de sangramento no cérebro ou uma área de isquemia. Além disso, poderá ser usado para descartar outras possíveis causas de seus sintomas, como um tumor cerebral ou uma reação a medicamentos.

Outros exames, como a angiografia, poderão ser usados para identificar a obstrução.

Tratamento do AVC

 

O tratamento do AVC envolve três tipos de ação:

  1. Conter o dano imediato
  2. Tratamento das sequelas
  3. Prevenção de novos AVC.

Contenção do dano imediato – AVC isquêmico

 

No caso do AVC isquêmico, o objetivo consiste em desobstruir o vaso cerebral afetado, reestabelecendo-se assim a circulação cerebral. 

O medicamento padrão ouro para isso é o Ativador de Plasminogênio Tecidual recombinante. Ele deve ser administrado por via intravenosa dentro de 4,5 horas a partir do início dos sintomas. Entretanto, quanto mais cedo esses medicamentos forem administrados, melhor. 

A desobstrução também pode ser feita cirurgicamente por meio de procedimentos endovasculares. Estes procedimentos podem ser indicados especialmente no caso de grandes coágulos, que são mais difíceis de serem dissolvidos apenas com medicamentos.

O tratamento rápido não só melhora as chances de sobrevivência, mas também pode reduzir as complicações.

Contenção do dano imediato – AVC Hemorrágico

 

No caso do AVC hemorrágico, o objetivo principal é conter a hemorragia.

Se o paciente toma medicamentos anticoagulantes, poderão ser usados medicamentos ou transfusões de produtos sanguíneos para neutralizar os efeitos dos anticoagulantes. 

Medicamentos poderão ser usados também para diminuir a pressão intracraniana, diminuir a pressão arterial e prevenir convulsões.

Se a área de sangramento for grande, poderá ser realizada uma cirurgia para remover o sangue e aliviar a pressão no cérebro. A cirurgia também pode ser usada para interromper diretamente o sangramento.

Tratamento das sequelas

 

Os neurônios mortos em decorrência de um AVC nunca mais voltarão a funcionar. 

Isso significa que o tratamento nunca levará a uma recuperação completa.

Por outro lado, as sequelas do AVC podem ter melhora significativa com o tratamento. Isso pode envolver, entre outras coisas:

  • Fisioterapia: pode ser indicada para o tratamento dos distúrbios de movimento e mobilidade. 
  • Fonoaudiologia: pode ser considerada no tratamento dos problemas com a fala e comunicação. 
  • Uso de órteses

Prevenção de novos episódios de AVC

 

As seguintes medidas devem ser consideradas para evitar novos episódios de AVC:

  • Controle da Hipertensão Arterial;
  • Melhora no padrão alimentar
  • Medidas para a redução do colesterol, sejam elas com dieta ou medicamentos;
  • Abandono do tabagismo;
  • Controle do diabetes;
  • Manutenção de um peso saudável;
  • No caso de um AVC isquêmico, poderá ser considerado o uso de medicações anticoagulantes ou antiagregantes plaquetários.