medicina e exercicio

Ataque Isquêmico Transitório (AIT)

O que é o Ataque Isquêmico Transitório?

 

O Ataque Isquêmico Transitório (AIT) é uma condição caracterizada pela redução temporária no suprimento de sangue a uma região específica do cérebro.

Ele acontece especialmente a partir dos 55 anos e é ligeiramente mais comum em homens do que em mulheres.

Os sinais e sintomas são semelhantes aos do Acidente Vascular Cerebral. Entretanto, eles geralmente duram apenas alguns minutos e não causam danos permanentes.

Apesar disso, o AIT é considerado um aviso importante ao paciente. Isso porque 1 a cada 3 pessoas virá a ter um AVC no futuro, sendo que isso acontecerá em 2 a 17% dos pacientes em até 90 dias e em 20% ao longo do primeiro ano (1).

Sintomas do Ataque Isquêmico Transitório

O Ataques Isquêmico Transitório geralmente dura alguns minutos. 

A maioria dos sinais e sintomas desaparecem dentro de uma hora, embora raramente possam ter duração de até 24 horas. 

Eles podem incluir:

  • Fraqueza, dormência ou paralisia no rosto, braço ou perna, geralmente em um lado do corpo;
  • Fala arrastada ou distorcida;
  • Cegueira ou visão dupla
  • Perda de equilíbrio ou coordenação
  • Perda da sensibilidade de um lado do corpo; 
  • Alterações de movimento.

Este quadro clínico pode ser bastante variável caso a caso, a depender de qual a extensão das lesões e da região do cérebro que foi afetada. 

Como exemplo, um acidente vascular cerebral no hemisfério esquerdo pode prejudicar a linguagem. Isso porque o centro da linguagem está localizado no hemisfério esquerdo na maioria dos indivíduos. Já o AIT no hemisfério direito pode ter efeitos secundários completamente diferentes.

Qual a causa do Ataque Isquêmico Transitório?

O AIT tem as mesmas origens do AVC isquêmico, o tipo mais comum de AVC.

A principal causa  é a aterosclerose, uma doença que acomete as artérias cerebrais. Na aterosclerose, placas de gordura se acumulam na parede dos vasos sanguíneos, reduzindo a luz das artérias.

Entretanto, ao contrário do AVC, o bloqueio é breve e não há danos permanentes.

 

Fatores de risco para o AIT

São considerados fatores de risco para o AIT:

Diagnóstico

 

A apresentação inicial do Ataque Isquêmico Transitório é semelhante ao do Acidente Vascular Cerebral. Assim, o primeiro passo na avaliação do paciente é diferenciar as duas condições, descartando-se a possibilidade de um AVC.

Isso poderá ser feito especialmente com o uso da Tomografia Computadorizada ou da Angiografia por ressonância magnética.

Tratamento do AIT

 

Uma vez que tenha sido definido o diagnóstico de um Ataque Isquêmico Transitório, o objetivo passa a ser a prevenção de um AVC subsequente. Isso envolve medidas para o controle de todos os fatores de risco descritos acima.

Além disso, o tratamento pode envolver:

  • Medicamentos anticoagulantes ou antiagregantes plaquetários;
  • Endoarterectomia: Procedimento indicado no caso de uma artéria carótida gravemente estreitada. Uma incisão é feita para abrir a artéria, as placas são removidas e a artéria é fechada.
  • Angioplastia: procedimento cirúrgico no qual um balão é introduzido por meio de cateterismo e direcionado até a artéria obstruída. A seguir, um balão é inflado, comprimindo a placa de aterosclerose. Por fim, o balão é desinflado e retirado, deixando para trás um stent. O objetivo do stent é minimizar o risco de o estreitamento voltar a acontecer.