medicina e exercicio

Infiltração na Coluna (Bloqueio)

O que é Infiltração na Coluna (Bloqueio)?


A Infiltração na Coluna é uma opção de tratamento não-cirúrgico que pode fornecer alívio de curta ou longa duração para a dor lombar ou ciática.

Condições como a artrose na coluna, artrose fascetária, discopatia degenerativa, hérnia de disco ou estenose da coluna lombar estão entre as causas dessas dores e podem ser tratadas por meio de Infiltração na Coluna.

O procedimento envolve a injeção de uma medicação anti-inflamatória (geralmente um corticoide) combinado a um anestésico. O corticóide reduz a irritação (inflamação) local, aliviando a sensação de dor.


Tipos de Infiltração na Coluna


O local a ser infiltrado depende de qual a estrutura que se acredita ser a causa da dor. Assim, os tipos mais comuns de infiltração na coluna são:

  • Bloqueio foraminal: feito no local onde as raízes nervosas saem da coluna, também chamados de foramens. Indicado no caso de dor ciática com compressão da raiz nervosa, geralmente por uma hérnia de disco ou por uma estenose foraminal;
  • Bloqueio facetário: as facetas são estruturas responsáveis pela articulação de uma vértebra com as vértebras acima e abaixo, sendo assim responsáveis pela estabilidade e flexibilidade da coluna. O bloqueio facetário é indicado geralmente na presença de artrose facetária, quando se espera que elas fiquem inflamadas e inchadas;
  • Bloqueio sacro-ilíaco: a articulação sacroilíaca é onde a coluna (sacro) se conecta com a bacia (osso ilíaco). A principal indicação para este bloqueio é a Sacroileíte, condição caracterizada por dor na região lombar, nádega e perna.

Qual a indicação para a Infiltração na Coluna?


A infiltração na coluna pode ser usada com o objetivo tanto de tratamento como de diagnóstico. Ela e geralmente feita quando as medidas convencionais de tratamento não cirúrgico não respondem satisfatoriamente.

Ela pode também ser indicada como método inicial de tratamento em uma dor de início recente, de forte intensidade. Isso é feito quando a intensidade da dor  não permite aguardar a resposta de outros meios de tratamento que não possuem efeito tão imediato.

A infiltração da coluna com objetivo diagnóstico se justifica em casos nos quais  diferentes estruturas estão com algum problema e o Ortopedista Especialista em Coluna precisa ter certeza de qual estrutura é de fato a causa da dor.

Uma das principais causas de falha em cirurgia na coluna é quando o procedimento não aborda a causa da dor. Como exemplo, um cirurgião diagnostica uma hérnia de disco, faz a cirurgia para a remoção da hérnia, consegue remover a compressão causada de forma satisfatória, mas, ainda assim, o paciente não apresenta qualquer melhora da dor. Isso pode acontecer simplesmente porque aquela hérnia não era a causa das queixas do paciente.

Ao realizar uma infiltração foraminal, nestes casos, o alívio temporário dos sintomas pode confirmar que aquela é a origem da dor. Assim, o procedimento dará uma maior segurança ao médico quanto aos prováveis benefícios da cirurgia.


Como é feito o procedimento?


A Infiltração na Coluna é geralmente feita no centro cirúrgico, pela necessidade do uso de um equipamento específico denominado de fluoroscopia. Este aparelho realiza imagens radiográficas instantâneas da coluna, guiando o cirurgião até o local onde fará a injeção..

O paciente fica deitado de lado ou de barriga para baixo, com anestesia local. Não se deve esperar dor significativa com o procedimento. Mas, no caso de dor leve a moderada, esta pode ser tratada com medicações analgésicas. É possível também que seja feito um sedativo para deixar o paciente mais relaxado.

Uma pequena agulha é então introduzida e direcionada por fluoroscopia para o espaço epidural. A seguir, é injetada uma pequena quantidade de contraste para confirmar que a agulha está no lugar correto e que o medicamento irá se espalhar para a área a ser tratada. Confirmada a localização, injeta-se a mistura de corticoide e anestésico usados no tratamento.

O procedimento demora aproximadamente 30 minutos. Depois disso, o paciente deve ser monitorado por cerca de 1 hora na sala de recuperação, antes de ser liberado para casa.

A maioria dos pacientes já consegue trabalhar no dia seguinte. Alguns ainda persistem com algum desconforto e dor na região da infiltração.  Assim, é bom estar preparado para a eventual necessidade de repouso no dia seguinte. A resposta varia de acordo com a causa da dor e características individuais do paciente.


Qual o resultado esperado?


O bloqueio epidural pode prover diferentes tipos de resposta. Vejamos abaixo.

Ausência de melhora da dor

Significa que o local injetado provavelmente não é a origem da dor, apesar dos achados dos exames de imagem. Neste caso, outras fontes de dor devem ser consideradas. Eventualmente, um novo bloqueio anestésico pode ser tentado em outra estrutura que o médico acredite que possa estar causando a dor.

Melhora temporária da dor

O paciente apresenta uma melhora temporária, que pode ser breve ou prolongada. Quando a dor retorna depois de bastante tempo, um novo bloqueio pode ser tentado. Quando o alívio é breve ou múltiplos bloqueios já foram realizados, mas sempre com alívio temporário da dor, é sinal de que o tratamento cirúrgico provavelmente terá bom resultado.

Melhora persistente da dor

A injeção epidural não deve ser vista como uma cura para a alteração estrutural/anatômica que está causando a dor. Entretanto, ela é capaz de quebrar o ciclo de inflamação e inchaço local. Isso permite que outros meios de tratamento, incluindo a fisioterapia, terapias manipulativas ou exercícios, sejam executados de forma mais efetiva. Este tratamento mais amplo é o principal responsável pelo bom resultado no longo prazo.