medicina e exercicio

Dor Sacroilíaca

Sacroileíte (Dor Sacroilíaca)


A Sacroileíte é uma inflamação das articulações sacro ilíacas, local de conexão do sacro (parte inferior da coluna) com a pélvis. Estima-se que entre 10 e 25% das pessoas com queixa de lombalgia apresentem a Sacroileíte, sendo mais comum em atletas que realizam atividades de alto impacto, como a corrida, e em pessoas que estão acima do peso.

Outros problemas que afetam a mobilidade da coluna ou quadril também aumentam a sobrecarga na articulação sacroilíaca e o risco de Sacroileíte.

Homens são mais acometidos do que as mulheres, mas as mulheres ficam mais susceptíveis durante ou após a gravidez, uma vez que a articulação sacroilíaca fica distendida para acomodar o útero.

Normalmente, o acometimento pela Sacroileíte e a dor acontece em apenas um lado do corpo. É menos comum que ambas as articulações sejam dolorosas ao mesmo tempo.

O que o paciente sente?


A principal queixa do paciente com Sacroileíte é a dor na parte baixa da coluna ou dor no quadril, associada à limitação da mobilidade nestas articulações. Aproximadamente 25% das dores na região do quadril estão relacionadas à Sacroileíte e até mesmo pequenos movimentos da coluna podem ser extremamente desconfortáveis e dolorosos.

Os sintomas são piores após um tempo prolongado de repouso, sendo intensificados assim que o paciente se levanta pela manhã ou após passar muito tempo na posição sentada. Caminhar, agachar, movimentar-se na cama durante a noite, subir escadas ou mesmo uma tosse ou um espirro podem piorar a dor.


Como é feito o diagnóstico da Dor Sacroilíaca?


A Sacroileite deve ser considerada no paciente com queixa de dor lombar baixa, dor glútea ou nos quadris e nos quais a dor piora com testes provocativos sobre a articulação sacroilíaca. Alterações degenerativas nessa região poderão então ser observadas em exames de radiografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

A principal dificuldade diagnóstica é que muitas pessoas apresentam exames de imagem compatíveis com a Sacroileíte sem que tenham dor e outras pessoas possuem dor sacroilíaca com alterações pouco significativas nos exames de imagem.

Mais do que isso, pacientes com degeneração na articulação sacroilíaca muitas vezes apresentam outras alterações no exame do quadril ou coluna, o que pode dificultar a caracterização de qual a causa real da dor do paciente.

Identificar a origem da dor e não apenas a presença ou não de desgaste na articulação sacroilíaca é fundamental para a escolha do tratamento. Assim, quando o médico especialista em coluna tem dúvidas quanto à real causa da dor e o tratamento não cirúrgico convencional não obteve o resultado esperado, uma alternativa é realizar um bloqueio diagnóstico.

Anestesiar a articulação por injeção sob orientação radiográfica é considerado o padrão-ouro para diagnosticar dor nas articulações sacroilíacas.

Quando a injeção provoca alívio significativo da dor, ainda que temporário, fica confirmada que a articulação sacroilíaca é a causa da dor. Quando o alívio obtido for insignificante, é preciso que se procure por outras possíveis causas.

Tratamento da Sacroileíte


O tratamento para a dor da Sacroileíte é geralmente sem cirurgia e envolve fisioterapia, medicamentos e exercícios para fortalecimento e reequilíbrio muscular e para ganho de mobilidade.

É preciso também que se trate a causa base da Sacroileíte. Por exemplo, em doenças reumatológicas/inflamatórias o acompanhamento regular de um reumatologista e a introdução de medicações específicas para a doença em questão são fundamentais. Casos de discrepância de comprimento dos membros inferiores podem ser tratados simplesmente com equalização dos membros.

Quando o tratamento convencional sem cirurgia não surtir o efeito esperado, é possível realizar o bloqueio anestésico da articulação sacroilíaca, como descrito na seção sobre diagnóstico. O bloqueio serve tanto para o diagnóstico como para o tratamento da dor – neste caso, um medicamento corticosteroide é associado ao anestésico local.

A cirurgia por meio da fusão da articulação sacroilíaca pode ser indicada quando todos os métodos de tratamento acima falharem e o bloqueio anestésico tiver confirmado a articulação sacroilíaca como sendo a origem da dor.