medicina e exercicio

Infecção Urinária Recorrente

O que é uma infecção urinária recorrente?

A Infecção urinária é um problema bastante comum, especialmente em mulheres, crianças e idosos. Uma a cada três mulheres terá tido um episódio de Infecção urinária até os 24 anos de idade. Além disso, 27% delas voltam a ter um novo episódio da infecção no prazo de seis meses e 3% apresentam uma segunda recorrência (1).

A Infecção urinária recorrente, eventualmente chamada de Infecção urinária crônica ou Infecção urinária de repetição, fica caracterizada quando uma pessoa apresenta três ou mais episódios de infecção no prazo de 12 meses (1).

Qual a causa da Infecção urinária recorrente?

A infecção urinária de repetição é classificada em dois tipos:

  • Não complicada: ausência de anormalidades estruturais ou funcionais do trato urinário;
  • Complicada: na presença destas anormalidades.

Fatores que predispõem à Infecção urinária recorrente não complicada incluem Menopausa, histórico familiar, atividade sexual, uso de espermicidas e uso recente de antibióticos.

Já a Infecção recorrente complicada está geralmente associada a uma das seguintes condições:

Diagnóstico

A maior parte das infecções urinárias de repetição são classificadas como não complicadas. Elas não exigem maiores cuidados além do tratamento da infecção.

Entretanto, a história e o físico exame deve buscar identificar eventuais condições que favoreçam a recorrência da infecção.

De acordo com as diretrizes da Associação Canadense de Urologia (1), uma investigação mais ampla é indicada nas seguintes condições:

  • Histórico de cirurgia ou trauma do trato urinário;
  • Presença de sangue na urina após resolução da infecção;
  • Cálculos vesicais ou Cálculos renais prévios;
  • Presença de sintomas obstrutivos, incluindo dificuldade para começar a urinar, fluxo fraco, micção intermitente 
  • Identificação de bactérias classificadas como “divisoras de uréia” na urocultura (por exemplo, Proteus, Yersinia);
  • Persistência de uma bactéria na cultura mesmo com o tratamento adequado baseado no antibiograma (exame que identifica a sensibilidade da bactéria para diferentes tipos de antibióticos);
  • Histórico de câncer no abdome ou pelve;
  • Diabetes, HIV, uso crônico de corticoides ou outras formas de imunossupressão;
  • Pielonefrite recorrente (incluindo sinais como febre, calafrios, vômitos).

Nestas condições, é recomendado a realização de uma Cistoscopia. Neste procedimento, um pequeno telescópio (cistoscópio) é introduzido através da uretra para o interior da bexiga. O exame é capaz de verificar se há alterações estruturais ou bloqueios, como tumores ou pedras.

Poderá ser recomendado também a realização de exames de imagem, de preferência uma tomografia computadorizada de abdome e pelve com e sem contraste. Eventualmente, a ultrassonografia também poderá ser utilizada.

Tratamento

Pacientes com infecção urinária de repetição não complicada devem ser tratadas da mesma forma que pessoas com uma Infecção primária. Especial atenção deve ser dada às medidas preventivas, incluindo:

  • Higiene pessoal: a bactéria E. Coli, responsável pela maior parte dos casos de infecção urinária, é encontrada habitualmente no reto. Para evitar que estas bactérias sejam levadas até a uretra, é recomendável que as mulheres se limpem sempre da frente para trás após a evacuação. 

As mulheres também devem usar boas práticas de higiene durante o ciclo menstrual para evitar infecções. Trocar absorventes e tampões com frequência, bem como não usar desodorantes femininos, também pode ajudar a prevenir infecções do trato urinário.

  • Hidratação: Consumir mais líquidos, especialmente água, aumenta a produção de urina e pode ajudar a remover bactérias do trato urinário. 
  • Hábitos de micção: urinar com frequência pode reduzir o risco de Infecção urinária. Além disso, é recomendável que se treine para esvaziar completamente a urina, minimizando o volume residual;
  • Vestimenta: realizar a troca frequente de roupa íntima, evitar roupas apertadas e dar preferência por roupas de algodão pode ajudar a se manter seco, impedindo o crescimento de bactérias no trato urinário. 

Por fim, é importante que se investige e corrija os fatores responsáveis pela infecção urinária de repetição, sempre que possível. 

Algumas recomendações poderão ser feitas em casos específicos, a depender de quais as condições causais estabelecidas:

  • Uso prolongado de antibiótico em baixas doses;
  • Urinar antes e após a relação sexual e usar antibióticos após a relação;
  • Uso de cremes de estrógeno (especialmente na mulher pós menopausa)