medicina e exercicio

Fibrose Pulmonar

O que é a Fibrose Pulmonar?

A fibrose pulmonar nada mais é do que a substituição do tecido pulmonar normal por um tecido cicatricial, denominado de fibrose.

A fibrose é uma forma de cicatrização comum a diversos tipos de tecido no nosso corpo. Quando cortamos a pele, por exemplo, a cicatriz que se forma é um tecido fibrótico.

A fibrose torna o pulmão mais rígido e menos elástico. Isso compromete a capacidade de o pulmão se expandir e se encher de ar.

Quais os sintomas da Fibrose Pulmonar?

Sinais e sintomas de fibrose pulmonar podem incluir:

  • Fadiga
  • Perda de peso inexplicável

Qual a causa da Fibrose Pulmonar?

Existem diversas condições que podem resultar em fibrose pulmonar. Entretanto, na maior parte das vezes o médico não é capaz de encontrar nenhuma causa para o problema. Quando isso acontece, a Fibrose Pulmonar é chamada de idiopática.

As principais causas identificáveis para a fibrose incluem:

  • Exposição a irritantes, como pó de sílica, amianto, pós de metal duro, pó de carvão, excrementos de pássaros e animais
  • Radioterapia: algumas pessoas que recebem radioterapia para câncer de pulmão ou mama apresentam sinais de danos pulmonares meses ou às vezes anos após o tratamento inicial. 
  • Medicamentos
  • Quimioterapia: medicamentos usados para destruir células cancerígenas, como o metotrexato e a ciclofosfamida, também podem danificar o tecido pulmonar.
  • Medicamentos para o coração. Alguns medicamentos usados ​​para tratar a arritmia, como a amiodarona, têm potencial para prejudicar o tecido pulmonar.
  • Antibióticos
  • Anti-inflamatórios
  • Condições médicas
  • Doenças auto-imunes, incluindo a dermatomiosite, polimiosite, Lúpus Eritematoso Sistêmico, Artrite reumatoide e outras;
  • Pneumonia.

Complicações

As complicações da fibrose pulmonar podem incluir:

Hipertensão pulmonar

O tecido cicatricial no pulmão compromete as pequenas artérias responsáveis por realizar as trocas gasosas. 

Isso leva a uma maior resistência ao fluxo sanguíneo nos pulmões, o que caracteriza a Hipertensão Pulmonar.

Insuficiência do ventrículo direito (cor pulmonale)

O cor pulmonale é o nome que se dá para a Insuficiência do Ventrículo Direito.

 Ela é uma consequência da Hipertensão Pulmonar, já que o ventrículo direito precisa fazer mais força para impulsionar o sangue até o pulmão.

Desta forma, o músculo cardíaco se espessa e, com o tempo, o ventrículo direito não mais consegue funcionar como deveria.

Insuficiência Respiratória (Hipoxemia)

A Fibrose Pulmonar compromete a troca de gás carbônico por oxigênio nos pulmões, o que caracteriza a Insuficiência Respiratória. 

Isso leva a uma menor quantidade de oxigênio no sangue, condição essa chamada de hipoxemia.

A hipoxemia compromete o funcionamento dos mais diversos órgãos e sistemas do corpo.

Complicações pulmonares

Trombose pulmonar, infecção pulmonar e câncer de pulmão são mais comuns em pacientes com Fibrose Pulmonar.

Diagnóstico

O diagnóstico da Fibrose Pulmonar pode ser feito por meio de exames de imagem como a radiografia de tórax ou a Tomografia computadorizada.

Quando ainda houver dúvidas diagnóstica, poderá ser considerado a realização de biópsia.

Além disso, outros exames, como o ecocardiograma, teste espirométrico, exame de sangue e oximetria de pulso poderão ser usados para avaliar possíveis consequências da fibrose pulmonar.

Radiografia do tórax

A radiografia do tórax pode mostrar o tecido cicatricial típico da fibrose pulmonar. Entretanto, o exame é muitas vezes normal.

Tomografia computadorizada

Exame particularmente útil para determinar a extensão do dano pulmonar causado pela fibrose pulmonar. 

Ecocardiograma

Exame usado para mostrar a Insuficiência de ventrículo direito, que é uma das consequências da fibrose pulmonar.

Teste de função pulmonar (espirometria)

A espirometria é um exame usado para avaliar o funcionamento dos pulmões.

Ela envolve um conjunto de medidas, incluindo:

  • Capacidade vital forçada (CVF): Representa a maior quantidade de ar que o paciente é capaz de exalar, depois de inspirar o mais profundamente possível.
  • Volume expiratório forçado (VEF-1): Representa o máximo de ar eliminado durante um segundo. 

A espirometria, desta forma, é capaz de diferenciar problemas pulmonares obstrutivos de problemas restritivos.

A doença pulmonar de padrão restritivo é aquele no qual a capacidade de o pulmão se encher de ar ou de se esvaziar está comprometida.

Desta forma, ela se caracteriza pelas seguintes medidas:

  • VEF1/CVF acima do Limite Inferior de normalidade;
  • CVF abaixo do limite inferior de normalidade.

Oximetria de pulso

Este teste simples usa um pequeno dispositivo na forma de clipe colocado em um dos dedos para medir a saturação de oxigênio no sangue. 

Desta forma, ela mostra quando o pulmão não é mais capaz de manter as trocas gasosas normalmente.

Alternativamente, a oxigenação do sangue também pode ser avaliada por meio da gasometria.

Tratamento da Fibrose Pulmonar

A cicatrização pulmonar que ocorre na fibrose pulmonar não pode ser revertida.

Entretanto, o tratamento pode ajudar na melhora dos sintomas e também pode retardar a evolução da doença.

Medicamentos

Alguns medicamentos, como a pirfenidona (Esbriet) e nintedanib (Ofev), podem ser indicados com o objetivo de retardar a evolução da doença. 

Medicamentos antiácidos podem ser usados para tratar a Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE), uma condição digestiva que geralmente ocorre em pessoas com fibrose pulmonar idiopática.

Oxigenioterapia

Quando a fibrose pulmonar já compromete a troca de gases, o paciente pode desenvolver hipoxemia. 

Nestes casos, a oxigenioterapia pode prover diversos benefícios, entre eles:

  • Melhora da capacidade funcional e da realização de atividades;
  • Prevenir ou diminuir complicações de baixos níveis de oxigênio no sangue;
  • Redução da pressão arterial no lado direito do coração;
  • Melhore do sono e da sensação de bem-estar.

Em alguns casos, a oxigenioterapia é indicada apenas em condições específicas, como ao dormir. Outros pacientes usam oxigênio de forma contínua.

Reabilitação Pulmonar

A Reabilitação Pulmonar não é capaz de melhorar a capacidade de trocas gasosas pelo pulmão. Entretanto, ela pode melhorar a eficiência com os movimentos e com o uso do oxigênio. 

A reabilitação deve também envolver outros aspectos além do exercício, entre eles:

  • Aconselhamento nutricional
  • Aconselhamento e apoio
  • Educação sobre sua condição

Com isso, o paciente usa menos oxigênio e se sente menos cansado, ao realizar uma mesma atividade.

Transplante de pulmão

O Transplante pulmonar pode ser uma opção para pessoas com fibrose pulmonar, quando a função pulmonar está seriamente comprometida.

Este é o único tratamento com potencial para melhorar a função pulmonar, ainda que envolva efeitos colaterais e complicações importantes.