medicina e exercicio

Transtorno de Ansiedade

O que é um transtorno de ansiedade?

O Transtorno de ansiedade é uma condição de saúde mental no qual uma pessoa desenvolve ansiedade excessiva frente ao que seria esperado em determinadas situações.

Isso não significa que a ansiedade seja sempre um problema, muito pelo contrário.

A ansiedade nos ajuda a perceber situações perigosas e nos deixa mais preparados para reagir a situações perigosas ou desafiadoras.

É normal e esperado que se fique ansioso ou nervoso se tiver que resolver um problema no trabalho, ir a uma entrevista, fazer um teste ou tomar uma decisão importante.

O transtorno de ansiedade, por outro lado, acontece quando:

  • A ansiedade interfere negativamente na rotina;
  • A pessoa reage de forma exagerada quando algo desencadeia suas emoções.
  • A pessoa não pode controlar suas respostas a situações adversas.

O transtorno de ansiedade, assim como outras formas de doença mental, está relacionado a desequilíbrios químicos no cérebro combinado a fatores genéticos e ambientais (um trauma, por exemplo).

Ele não deve ser visto como um sinal de fraqueza pessoal, falhas de caráter ou problemas com a educação.

Fatores de risco para os transtornos de ansiedade

Uma mistura de fatores genéticos e ambientais pode aumentar o risco de uma pessoa desenvolver transtornos de ansiedade.

São pessoas sob maior risco:

  • Certos traços de personalidade, como timidez. O transtorno de ansiedade é mais comum entre aqueles que não se sentem confortáveis com pessoas, situações ou ambientes não familiares;
  • Eventos estressantes ou traumáticos na primeira infância ou na idade adulta;
  • História familiar de ansiedade ou outras condições de saúde mental;
  • Certas condições físicas, incluindo problemas de tireoide e arritmias cardíacas (ritmos cardíacos incomuns);
  • Os transtornos de ansiedade ocorrem com mais frequência em mulheres. Os transtornos de ansiedade são as condições de saúde mental mais comuns, acometendo aproximadamente 30% dos adultos em algum momento da vida (1). Os transtornos de ansiedade geralmente começam na infância, adolescência ou início da idade adulta.

Quais os tipos de transtorno de ansiedade?

Existem vários tipos de transtornos de ansiedade, incluindo:

Transtorno de ansiedade generalizada (GAD).

  • Síndrome do pânico.
  • Fobias.
  • Ansiedade de separação.

Transtorno de ansiedade generalizado

Pessoas com Transtorno de Ansiedade generalizado costumam ter preocupações e tensões excessivas e irreais. Isso acontece mesmo que não haja nada que justifique esses sentimentos.

Aspectos relacionados à saúde, trabalho, escola e relacionamentos podem desencadear a ansiedade. Inquietação, dificuldade de concentração e insônia são comuns entre estes pacientes.

Transtorno de pânico

Transtorno do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade no qual uma pessoa desenvolve habitualmente sensação intensa e repentina de pânico.

Isso acontece de forma inesperada e injustificada ou de forma exagerada frente a determinadas situações desencadeantes.

São sinais e sintomas comuns em uma pessoa com ataque de pânico:

  • Sudorese excessiva;
  • Palpitações cardíacas (sensação de que seu coração está batendo forte).
  • Dor no peito.
  • Sensação de asfixia, o que pode ser confundido com um infarto cardíaco. Alguns pacientes acreditam que “estão enlouquecendo”.

Os ataques de pânico são muito perturbadores. Pessoas com transtorno do pânico costumam passar muito tempo se preocupando com o próximo ataque de pânico. Eles também tentam evitar situações que possam desencadear um ataque.

Por fim, vale considerar que os sinais de um ataque de pânico são bastante semelhantes ao de um ataque cardíaco. Na dúvida, é importante não perder tempo e procurar imediatamente o hospital.

Fobia

Fobias são um medo intenso de certas situações ou objetos.

Alguns desses medos podem fazer sentido, como o medo de cobras. Mas, muitas vezes, o nível de medo não corresponde à situação.

Outras fobias comuns incluem:

  • Lugares fechados, como um aparelho de ressonância magnética ou um elevador;
  • Medo de altura;
  • Medo de avião.

A fobia social envolve o medo e a preocupação excessiva de como outras pessoas irão julgá-lo, além do medo de se expor a uma situação ridícula ou vexatória.

Pessoas com transtorno de ansiedade social podem evitar totalmente certas situações sociais.

O Transtorno de ansiedade de separação é um tipo de fobia comum a crianças ou adolescentes, que temem que os pais não estejam por perto para protege-los ou mesmo que não retornem para busca-los.

Embora menos comum, o Transtorno de Ansiedade de Separação pode também acometer crianças mais velhas e adultos.

Quais são os sintomas do transtorno de ansiedade?

Os sintomas variam de acordo com o tipo de transtorno de ansiedade, podendo incluir:

  • Sintomas físicos: mãos frias ou suadas., boca seca, palpitações cardíacas, náusea, dormência ou formigamento nas mãos ou pés, tensão muscular, falta de ar.
  • Sintomas mentais: sentimento de pânico, medo e inquietação, pesadelos, flashbacks de experiências traumáticas, pensamentos obsessivos incontroláveis.
  • Sintomas comportamentais: incapacidade de ficar quieto e calmo, comportamentos ritualísticos (como lavar as mãos repetidamente), insônia.

Como é o tratamento dos transtornos de ansiedade?

O tratamento envolve uma combinação de medidas comportamentais, incluindo:

O tratamento envolve uma combinação de medidas comportamentais, incluindo:

  • Minimizar o consumo de café;
  • Melhora do padrão alimentar
  • Prática regular de atividades físicas
  • Evitar ambientes muito estressantes;
  • Utilizar-se de técnicas de relaxamento como meditação ou Ioga;
  • Psicoterapia.

Tratamento medicamentoso

Os medicamentos não curam o transtorno de ansiedade, mas podem melhorar os sintomas e ajudá-lo a contornar o problema.

As medicações, quando necessárias, devem ser decididas caso a caso entre o paciente e o Médico psiquiatra. A escolha deve considerar os sintomas, idade do paciente, estado de saúde geral, outras medicações e a resposta a eventuais tratamentos prévios.

Diferentes classes de medicações podem ser usadas, incluindo:

Ansiolíticos

Medicações ansiolíticas, especialmente os Benzodiazepínicos, podem ajudar a reduzir o pânico e a preocupação.

Eles começam a agir rapidamente, mas devem ser usados por curto prazo (no máximo dois meses).

Isso porque o tratamento prolongado leva a tolerância (necessidade de uma dose maior do medicamento para obter o mesmo efeito) e dependência.

Além disso, com o tempo, os Benzodiazepínicos deixam de prover alívio da ansiedade.

Antidepressivos

Os antidepressivos também podem ajudar nos transtornos de ansiedade. Mas, ao contrário dos benzodiazepínicos, eles demoram para surtir efeito.

É de se esperar algum efeito após 2 a 4 semanas, mas o máximo de efeito só é obtido após 6 a 8 semanas (1).

Beta-bloqueadores

Os betabloqueadores são medicamentos geralmente usados ​​para o tratamento da Hipertensão Arterial.

Entretanto, eles também podem ajudar a reduzir alguns dos sintomas físicos dos transtornos de ansiedade, como o batimento cardíaco acelerado e os tremores.

Transtorno de Ansiedade no esporte

A incidência de transtorno de ansiedade em atletas jovens e atletas de elite é aproximadamente a mesma do que na população em geral.

Além de comprometer a qualidade de vida, a ansiedade pode também afetar de forma significativa o desempenho esportivo.

Fatores específicos do esporte podem desencadear o transtorno de ansiedade em pessoas predispostas, embora não costumem ser a causa original do problema. Entre eles, incluem-se:

  • Pressão por resultado;
  • Escrutínio público e da imprensa;
  • Incertezas e instabilidade da carreira;
  • Insatisfação com a profissão;
  • Afastamento por lesões.

Mulheres, atletas mais jovens e aqueles com menor experiência atlética têm maior risco de desenvolver o Transtorno de Ansiedade.

O Transtorno de ansiedade compromete a atenção, o processamento de estímulos, a seleção de informações, a motivação, a autoconfiança e as estratégias de enfrentamento, domínios estes com impacto direto no desempenho esportivo.

Grande parte dos atletas com transtorno de ansiedade não têm o diagnóstico do problema. Além disso, muitos não se sentem confortáveis de conversar sobre isso com a equipe médica do clube, com medo de serem julgados por isso.

Da mesma forma, grande parte dos médicos que atuam nos clubes não se preparam para identificar e tratar problemas de saúde mental no atleta, incluindo o Transtorno de Ansiedade.

Assim, acabam por perder a oportunidade de oferecer um tratamento importante para o bem estar e para o desempenho esportivo do atleta.