medicina e exercicio
Pesquisar
Pesquisar

Fonoaudiologia em motricidade orofacial

O que é a fonoaudiologia em motricidade orofacial?

A motricidade orofacial é a especialidade da fonoaudiologia dedicada aos problemas relacionados aos órgãos, músculos e articulações que coordenam a respiração, fala, sucção, deglutição e mastigação.

Ela atende desde os recém-nascidos até as pessoas maiores de idade.

Para atuar nesta área o fonoaudiólogo precisa conhecer com profundidade sobre a musculatura e fisiologia do rosto e pescoço, dos exames disponíveis para avaliação e das técnicas terapêuticas existentes. Estas alterações podem afetar a comunicação, a alimentação e até mesmo a vida social do indivíduo, daí a sua importância.

A área de atuação do fonoaudiólogo especializado em motricidade orofacial se estende a escolas, consultórios, clínicas e hospitais. Sua atuação é interdisciplinar, sendo necessária a avaliação e integração com profissionais da área médica e também da odontologia.

Quando procurar um fonoaudiólogo especialista em motricidade orofacial?

Alguns dos motivos que justificam a consulta com o fonoaudiólogo especializado em motricidade orofacial incluem:

  • Dificuldades na movimentação dos lábios, língua e bochechas;
  • Dificuldades para manter a postura dos lábios fechados;
  • Respiração bucal;
  • Interposição da língua durante a fala ou alimentação;
  • Dificuldades na mastigação,
  • Disfunção temporomandibular;
  • Outras dificuldades funcionais e/ou posturais das estruturas da boca, face ou pescoço.

Quais as condições tratadas pelo fonoaudiólogo especialista em motricidade orofacial?

Entre as condições tratadas pela especialidade, incluem-se:

  • Respiração bucal;
  • Problemas na Mastigação;
  • Problemas na Deglutição, incluindo a deglutição Atípica ou adaptada (interposição de língua ao deglutir);
  • Articulação de fala distorcida (“língua presa”);
  • Hábitos deletérios, como sucção de dedos, uso de chupeta, roer unhas, etc;
  • Sucção inadequada;
  • Fissuras palatina;
  • Disfunção temporomandibular (ATM);
  • Paralisia facial;
  • Queixas estéticas;
  • Ronco e apnéia do sono;
  • Disfagias em idosos (problemas neurológicos ou do envelhecimento que afetam a fala e a deglutição).

Quais as causas dos distúrbios da motricidade orofacial na infância?

Os problemas estomatognáticos, ou seja, nos músculos faciais e cervicais, podem ser de origem genética, mas pode ser potencializada por certos fatores e hábitos, incluindo:

  • Uso de chupeta durante a infância: principal causa de alteração na mordida, na posição dos dentes ou na própria musculatura, causando problemas na fala.
  • Mastigação de um só lado da boca;
  • Respiração bucal: provoca alterações na estrutura do rosto e impede a filtragem do ar que seria feito pelo nariz.

Motricidade orofacial em idosos

Com o envelhecimento, podem surgir dificuldades para a pessoa engolir alimentos, bebidas ou, até mesmo, a própria saliva.

A fonoaudiologia ajuda o idoso a melhorar a deglutição, a mastigação e a respiração, reduzindo a frequência de engasgos. Para isso, são realizados exercícios que melhoram a atividade mandibular.

Outros distúrbios que pode surgir com o avanço da idade se referem à deglutição e outros problemas com a alimentação.

Em geral, essas alterações provocam dificuldades na fala, mastigação, sucção e deglutição. Eles podem ser sintomas da Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson, Acidente Vascular Cerebral, câncer e Paralisia Cerebral.

Dessa forma, é imprescindível um acompanhamento médico para exames e o correto diagnóstico.

Motricidade orofacial na disfagia

A disfagia se refere à dificuldade para engolir, sendo originada por problemas neurológicos (doenças neuromusculares e/ou neurodegenerativas).

Os pacientes com disfagia também podem resultar em complicações pulmonares, quando um alimento é desviado para o pulmão ao invés de ir para o estômago. A fonoaudiologia ajuda o disfágico a melhorar a deglutição, a mastigação e a respiração, reduzindo a frequência de engasgos. Os exercícios melhoram também sua qualidade de alimentação, saúde e bem-estar.

Motricidade oral na respiração bucal

Na respiração pela boca, o nariz é pouco utilizado ou nem é utilizado para o movimento de inspiração e expiração. Os principais sinais de quem respira pela boca são:

  • lábios ressecados com frequência;
  • boca aberta por muito tempo;
  • respiração ruidosa;
  • nariz sempre obstruído;
  • língua volumosa, rebaixada e projetada para frente;
  • bochechas caídas;
  • ronco.

A respiração bucal impede que o ar que passaria pelo nariz fosse filtrado. Assim, o ar atinge os pulmões com impurezas. As consequências disso são várias:

  • mandíbula e língua com pouca força e movimentação reduzida;
  • mudança na estética e na posição dos dentes;
  • face alongada;
  • posição da língua rebaixada;
  • ‘’céu da boca’’ estreito e/ou profundo;
  • fala embolada;
  • muita saliva;
  • presença de ruído na fala;
  • contração dos músculos que ficam em volta da boca;
  • sono agitado;
  • apneia do sono;
  • dificuldade de engolir;
  • menor força para mastigação;
  • falta de apetite.

Motricidade orofacial na deglutição atípica

A deglutição atípica se constitui em movimentos inadequados da língua e outras estruturas da boca sem alteração na forma da cavidade oral. Ela ocorre geralmente por problemas de postura de cabeça, alteração do tônus muscular, da mobilidade e da sensibilidade dos lábios, língua, bochechas e palato mole.

Uma das características observadas claramente na descrição do padrão da deglutição atípica é a anteriorização da língua, isto é, com a língua pressionando os dentes incisivos centrais e laterais.

Isso pode levar a alterações estruturais na arcada dentária, que podem precisar ser corrigidas pelo dentista. O fato desta musculatura não estar com seu tônus adequado, acarreta dificuldade para vedamento labial, facilitando o desenvolvimento do hábito da respiração bucal.

Outro fator a ser observado nos problemas da deglutição atípica é que, com a alteração do tônus muscular da língua, pode aparecer desvios na produção da fala, principalmente dos fonemas /t/ /d/ /n/ /l/, pois estes têm seu ponto de articulação no mesmo local onde a língua posiciona-se no ato da deglutição. Ainda os fonemas /s/ e /z/ podem apresentar-se distorcidos.

O tratamento fonoaudiológico para a deglutição atípica é reeducativo. Primeiramente, o profissional prepara a musculatura para a realização da função. Depois, quando os elementos musculares envolvidos estão aptos, é que se faz a adequação dos movimentos da deglutição.

Motricidade oral na paralisia cerebral e problemas neurológicos

Outra área de atuação da motricidade orofacial é na obtenção de melhor qualidade de vida aos pacientes que tiveram um traumatismo craniano, AVC, que nasceram com paralisia cerebral ou ainda adquiriram alguma doença degenerativa.

Estes problemas neurológicos costumam acometer as áreas centrais da linguagem e da fala e precisam de apoio para reabilitação dos movimentos e tonicidade da musculatura para melhor se alimentarem, respiração e fala. Estes pacientes também podem precisar de fonoaudiólogos especialistas na área da linguagem, fisioterapeutas, musicoterapeutas, médicos e outros profissionais.