medicina e exercicio
Pesquisar
Pesquisar

Odontopediatria

O que é a odontopediatria?

A Odontopediatria é a especialidade da odontologia que tem como objetivo diagnosticar, prevenir, tratar e controlar doenças da saúde bucal dos bebês, crianças e adolescentes.

Quais os diferenciais do odontopediatra?

O dentista especializado em odontopediatria possui os conhecimentos de um cirurgião-dentista como procedimentos cirúrgicos, endodônticos, restauradores, ortopédicos e preventivos.

Além disso, o odontopediatra tem o conhecimento de todo o processo de formação da dentição e da arcada dentária, incluindo os dentes de leite, bem como dos problemas relacionados a estes processos.

Em muitas crianças, o odontopediatra verifica que não há nenhum problema instalado. Ainda assim, ele pode realizar uma limpeza de rotina e verificar a saúde dos dentes e gengivas.

No entanto, doenças dentais como a cárie ou a gengivite também são comuns. Procedimentos como a restauração dental ou até mesmo o tratamento de canal podem eventualmente ser necessários nestes casos.

Vale considerar que muitos destes casos podem permanecer longos períodos assintomáticos, de forma que eles somente serão identificados por meio de uma consulta de rotina com o odontopediatra. Isso evita a progressão para os estágios mais avançados, quando a cárie ou a periodontite (uma progressão da gengivite) são mais difíceis de tratar.

O odontopediatra deve avaliar também a formação da arcada dentária, incluindo a alinhamento e o formato dos dentes. Ele deve ter conhecimento das técnicas ortodônticas (correção por meio de aparelhos dentários) e fazer o encaminhamento para o ortodontista, sempre que indicado.

Independentemente de qualquer problema clínico identificado, as orientações tanto aos pais como às crianças são fundamentais, já que problemas relacionados a uma higiene bucal do bebê e da criança deficiente ou inadequada são comuns.

Pior fim, é importante considerar aspectos psicossociais relacionados à infância. Como regra geral, as crianças têm medo de ir ao dentista, o que cria uma responsabilidade maior do odontopediatra. O odontopediatra deve saber como se comportar e como se comunicar com a criança para tornar a consulta mais lúdica e menos traumática.

Odontopediatria no atendimento ao bebê

No período de aparecimento dos primeiros dentes, a criança tende a ficar irritada, com dor e pode aumentar a salivação. O odontopediatra orienta os pais a administrarem esses sintomas, de forma a oferecer maior conforto ao bebê.

Além disso, eles iniciam a escovação dos novos dentinhos, que deverá ser mantido durante toda a infância com o intuito de formar hábitos de higiene na sua formação. Será necessário escovar os dentes usando “dedeiras”, “escovas infantis” ou “gaze morna” com pasta dental que contenha flúor na sua composição, específica para crianças, para começar a evitar as cáries desde cedo.

Quanto à alimentação, o açúcar deve ser evitado ao máximo até os dois anos de idade.

Outras dicas a serem consideradas para higiene e prevenção de doenças bucais nos bebês incluem:

  • Durante a lactação, limpar os dentes com gaze umedecida em água morna e antes de dormir;
  • Beijar a boca do bebê, limpar o bico da chupeta ou mamadeira com a própria boca e assoprar a papinha para esfriar são algumas atitudes recorrentes, mas que devem ser evitadas: elas facilitam a transmissão de bactérias da boca dos pais para a boca do bebê e podem aumentar as chances do aparecimento de cáries.
  • A partir dos 6 meses de vida ou da erupção dos primeiros dentes, a criança deve também usar o fio dental.

Odontopediatria no atendimento da criança

Aplicação de flúor

A aplicação de flúor é um dos procedimentos mais recorrentes na odontopediatria. O flúor é um mineral utilizado como protetor dentário, auxiliando na prevenção de cáries, que, devido à alta ingestão de açúcar e guloseimas, são muito comuns durante a infância.

Este é um procedimento indolor onde o dentista aplica gel na superfície dos dentes.

Limpeza dos dentes

A limpeza de dentes permite a remoção do tártaro, que são placas dentais calcificadas. O tártaro pode se formar em decorrência de uma alimentação inadequada e falta de higiene bucal. Ele deve ser removido pelo odontopediatra com aparelhos específicos, sendo a escovação do dente insuficiente para isso.

Na presença de tártaro e outros sinais relacionados à má higiene bucal, a limpeza deve ser acompanhada de orientações em relação à dieta e escovação, uso de fio dental, etc.

Este momento pode ser também uma boa estratégia para a criança se familiarizar com os procedimentos odontológicos e evitar traumas futuros. Ele vai conhecendo as ferramentas e odores do tratamento odontológico de forma tranquila e progressiva.

Vale aqui considerar que a cárie em um dente de leite pode se desenvolver a ponto de prejudicar o dente permanente. Assim, os dentes de leite devem ser cuidados da mesma forma que os permanentes!

Algumas dicas para prevenção de cáries nas crianças incluem:

  • Escovar os dentes após todas as refeições. Este é um hábito que deve ser desenvolvido desde bebê, com escovas de dedo apropriadas.
  • É Importante que a água, a pasta dental ou o enxaguatório bucal (a partir dos 7 anos de idade ) possuam flúor em sua composição, o que previne o aparecimento das cáries;
  • Promover hábitos alimentares saudáveis: maior consumo de verduras, frutas e legumes e redução de carboidratos e açucares refinados, principalmente os doces.
  • O consumo frequente de doces, chicletes, refrigerantes, salgadinhos e sucos industrializados colaboram para a exposição da criança à formação de ácidos. Eles atacam os minerais dos dentes, ocasionando cáries e até a erosão dentária.
  • Fazer da hora da escovação uma brincadeira! Escovar os dentinhos da criança de maneira lúdica usando escova e pasta de dente colorida, a deixa mais receptiva para a higiene. Alguns aplicativos para celular podem ajudar a tornar a escovação mais lúdica e um momento de prazer para a criança.

Cuidados com os dentes decíduos (dentes de leite)

Os dentes de leite (decíduos) são a primeira dentição da criança, sendo popularmente chamados de “dentes de leite”. Organicamente eles caem sem qualquer necessidade de intervenção profissional e são substituídos pelos dentes permanentes.

Em alguns casos, pode ser necessária a extração de um dente de leite. Isso pode ocorrer, por exemplo, quando ele não cai naturalmente para dar espaço a um permanente.

Algumas vezes pode acontecer um acidente e o trauma ocasiona a perda do elemento dentário e os pais precisam ser orientados a como proceder.

Indicação de aparelhos ortodônticos

É bastante comum a indicação de aparelhos dentários na infância, já que é a fase que a estrutura óssea está em formação. Os dentes das crianças também são mais “moldáveis”, o que facilita o sucesso dos tratamentos ortodônticos.

Isso reduz consideravelmente o tempo necessário para que a arcada fique alinhada e evita, também, problemas futuros relacionados à mastigação, erupção de novos dentes desalinhados e dores na região facial.

A ortodentia (especialidade especializada em aparelhos dentais) evoluiu muito nas últimas décadas, estando disponível hoje modelos de aparelhos menos incômodos tanto do ponto de vista estético como do ponto de vista funcional.

Odontopediatria no atendimento do adolescente (odontohebiatria)

Entre os 10 e 19 anos é a puberdade e a fase de grandes mudanças hormonais no indivíduo, o que acarreta também instabilidades emocionais e mudanças comportamentais. Isso requer do odontopediatra posturas diferenciadas.

A especialidade também é denominada odontohebiatria, nome que vem da deusa da juventude na mitologia grega.

Nesta fase rompem-se os dentes pré-molares, os segundos molares permanentes e os dentes do siso. As cáries podem aumentar, pois jovens costumam ter dietas não equilibradas de doces, refrigerantes e bebidas e os cuidados com a higiene bucal dependem deles próprios e nem sempre são saudáveis como deveriam ser.

O Odontohebiatra ou Odontopediatra deve ter uma postura política e saber conversar com estes clientes, explicando-lhes a importância dos cuidados bucais e como estes repercutem em seu futuro, além de tratar as possíveis cáries ou doenças presentes.