medicina e exercicio
Pesquisar
Pesquisar

Endodontia

O que é a endodontia?

Endodontia é a especialidade da odontologia responsável pelo estudo da polpa dentária, de todo o sistema de canais radiculares e dos tecidos periapicais, bem como das doenças que acometem estas estruturas.

O canal radicular é um tecido que sustenta a passagem dos vasos sanguíneos, fibras e nervos na boca.

Quando o esmalte do dente, a parte mais externa está danificada por consequência de cáries ou traumas mal tratados, a pessoa sente dor e exige que o dentista endodontista faça a remoção e limpeza da polpa, o que popularmente chama-se “tratamento de canal”.

A endodontia é indispensável para uma boa saúde bucal pois procura manter o interior do dente saudável. No entanto, ela também pode fazer sua retirada quando há o comprometimento total da polpa.

Quais as partes dos dentes?

O dente é composto de 3 partes:

Camada externa

A camada externa é o esmalte, a parte dura do dente que protege a parte interna, mais sensível, de agentes externos. Ela facilita o corte, a mastigação e a trituração dos alimentos.

Esta camada do dente não possui nervos ou vasos sanguíneos. Assim, ela não gera dor ou sensibilidade e não permite a percepção de mudanças na temperatura.

Camada intermediária

A camada intermediária é formada pela dentina, a parte porosa e menos rígida situada logo abaixo do esmalte.
Se ela ficar exposta, pode levar microorganismos para a parte interior do dente, a polpa.

Isso acontece, por exemplo, quando o esmalte do dente é afetado, expondo a dentina e trazendo maior sensibilidade a esta.

Camada interna

A camada interna é considerada a “parte viva” do dente. Isso porque ela possui vasos sanguíneos, terminações nervosas e tecidos conjuntivos que geram a sensibilidade à temperatura, pressão e dor.

A polpa nutre a dentina, regula o fluxo sanguíneo e é responsável pela sensibilidade dos dentes.

Quando algo de errado está acontecendo ela reage provocando dor. Esta é a parte do dente que é tratada na endodontia.

Endodontia 1

Quais as causas dos problemas na pulpa do dente?

As principais causas de problemas na pulpa do dente incluem:

Cáries mal tratadas ou profundas

A cárie é uma doença infecciosa dos dentes causada por tipos específicos de bactérias presentes da boca.

Estas bactérias produzem ácidos que corroem (desmineralizam) o esmalte e a dentina do dente.

Idealmente, a cárie deve ser tratada antes que a polpa do dente seja acometida. Quando isso acontece, ela deve ser tratada pelo endodontista, que realiza o tratamento de canal para tentar “salvar o dente”.

Dentes trincados

O dente trincado é aquele que se quebra por meio de golpes, cáries ou forças internas como bruxismo.

A trinca nos dentes permite que as bactérias se infiltrem na dentina, acometendo a polpa.

Como identificar uma polpa do dente normal?

Em pacientes com o dente careado ou com uma trinca no dente, por exemplo, é fundamental que seja avaliado se a pulpa do dente está normal ou se ela precisa ser tratada.

Diferentes critérios clínicos e radiográficos devem ser levados em consideração para isso.

A polpa do dente clinicamente normal, quando estimulada, deve responder a um teste térmico de frio e calor. No entanto, a resposta da dor deve durar não mais que um a dois segundos após a remoção do estímulo.

Em geral, a resposta ao calor é mais demorada do que ao frio.

Os testes da percussão, da mordida e a palpação da região periapical não produzem nenhum tipo de dor ou desconforto.

Além disso, o aspecto radiográfico do dente encontra-se normal.

O que é uma pulpite reversível?

A pulpite se refere a uma inflamação da pulpa do dente. Ela indica que a polpa está sendo irritada por algum agente e respondendo por meio da inflamação.

Em alguns casos, é possível que ela volte ao normal após o tratamento adequado ou a remoção do agente irritante.

A pulpite reversível pode ser o resultado de lesões de cárie, traumas ou de restaurações defeituosas ou recentes.

Pulpite irreversível

Na pulpite irreversível, a polpa dentária encontra-se severamente comprometida. Assim, mesmo com o tratamento adequado ou com a remoção do agente irritante não é possível que ela seja recuperada.

Nestes casos, o tratamento de canal é indicado. O paciente sente dor espontânea e também com o estímulo térmico.

As causas mais comuns desta condição incluem: lesão de cárie profunda, dente com restauração extensa ou fratura com exposição do tecido pulpar.

Quais os sinais e sintomas relacionados ao acometimento da pulpa?

Quando há o acometimento da pulpa, os sintomas mais comuns são a dor do dente, que pode ser espontânea ou estimulada, e a sensibilidade ao toque.

Outros sinais e sintomas que podem estar presentes incluem vermelhidão, presença de pus, mau hálito, dificuldade para abrir a boca, desconforto para mastigar, inchaço nos gânglios do pescoço, escurecimento do dente e febre.

Como é feito o tratamento de canal?

O tratamento do canal é um procedimento realizado pelo endodontista e que busca “salvar”o dente da extração.

Ele busca remover a polpa inflamada e desolver a infecção local.

Este tratamento é geralmente realizado com anestesia local.

Uma vez anestesiado, o dentista abre a coroa do dente e remove a região danificada com uma fina lima endodôntica bem fina.

A seguir, ele limpa a região e preenche a cavidade com material apropriado.

Por fim, é feita a restauração do dente, para deixá-lo com sua cor e forma originais.